Fotografia . Blogosfera . Lifestyle

O blog no Youtube-2

Como Montar um Media Kit para o seu Blog?

Daí você tá lá, cuidando da sua vida, escrevendo no seu blog e recebe um email solicitando o Media Kit. Você pára por uns segundos e pensa “WHAT?“. É, foi isso que aconteceu láaaa nos idos de 2010, 2011, quando esse blog tava bem no comecinho e me solicitaram o media kit pela primeira vez, porque veja bem, eu não tinha um. O media kit, sendo bastante resumida, é uma apresentação do seu blog pra potenciais anunciantes, parceiros, agências etc etc.

É uma espécie de documento – o meu é um PDF bonitinho :)  – com dados de acesso, números de redes sociais, um pouco sobre o blog e outras coisas que podem ser interessantes pra quem quer ser seu parceiro ou trabalhar com você.

mk1

Ai Luh, só vou fazer isso quando o blog ficar gigantesco“. Não! Quando solicitaram meu media kit pela primeira vez o blog tinha meses de vida, a gente nunca sabe quando vai precisar. Algumas coisas que estão no meu media kit estão também ali na página Anuncie pra você olhar, que nada mais é do que um resumo – beeem resumo mesmo – do que eu tenho no documento.

Mas o que seria bom ter num Media Kit? Eis o que tenho atualmente no meu e que você também precisa:

  • Sobre o blog
  • Sobre mim
  • Estatísticas ( visitas mensais, visitas únicas, taxa de rejeição)
  • Dados sobre o público ( porcentagem de homens e mulheres, media de idade)
  • Localização dos leitores
  • Números de redes sociais
  • Contato

Com o tempo, adicionei outras coisas, como maneiras de anunciar, quem já trabalhou comigo, um pouco sobre o #desafioprimeira e por aí vai. Isso também vai de cada um, do que você considera importante e tudo mais. Lembre-se de não mentir nesses números!!! Não rola, né?  Dados como média de idade, gênero e localização você consegue fazendo uma pesquisa com seus leitores. Uma vez ao ano eu faço uma pesquisa aqui pra galera preencher e tiro a média a partir daí.

mk2

 

Parece complicado? Parece. Mas calma! Comece fazendo um texto sobre você, sobre seu blog e vá trabalhando a partir daí. O ideal é atualizar uma vez por mês, porque os dados de acesso mudam, os números das redes sociais também. Como aqui as coisas andam meio malucas – no bom sentido – tenho atualizado o meu a cada 15 dias, pelo menos a parte de redes sociais. Os números de acesso é sempre bom ver mesmo de um mês pra outro, pelo Google Analytics.

E aí, pronto pra falar sobre você? :)

Livros de Colorir Para Adultos, Será?

Deixa eu começar esse post contando uma historinha: eu fui uma criança hiperativa. Dou graças a Deus todo dia por ter nascido no fim dos anos 80 e passado a infância longe dessa nova moda de enfiar Ritalina em criancinha agitada, ou eu teria sido uma forte candidata ao negócio. Tinha dificuldade de ficar parada muito tempo, andava pela sala e era SEMPRE a primeira a terminar as coisas no colégio, porque deus-me-livre ficar perdendo tempo, né? Dito isso, vocês podem imaginar que ficar sentadinha desenhando era uma tortura pra mim. Sim, devo ter sido a única criancinha que detestava aula de pintura. Era muito mais a minha cara inventar uma peça de teatro ou sei lá.

Além de criancinha agitada, eu sou uma adulta ansiosa. Ansiosa nível “fiz terapia pra lidar com isso“, então vocês podem imaginar o quão cética eu sou com qualquer coisa divulgada como anti-stress. A maioria nunca me ajudou em nada e parecia uma perda de tempo gigante.

Jardim Secreto Floresta Encantada

Daí vieram os tais livros de colorir pra adultos, invadindo a vida dos meus amigos e o meu feed do Instagram. Veja bem: pintura ( coisa que eu sempre odiei) + anti stress: tinha tudo pra eu detestar como nada na vida, certo?

Errado.

No feriado, estava eu andando na Livraria Catarinense e dei de cara com uma prateleira destaque do Floresta Encantada e Jardim Secreto, os dois da Johanna Basford pela Editora Sextante aqui no Brasil. Eu pensei durante uns 0,5 segundos, peguei os dois, uma caixa de lápis de 36 cores ( pessoa ambiciosa é outra coisa ) e fui pro caixa. No caminho pra casa eu pensava “affe, sério? cê nem vai pintar, desnecessária“. Mas NÃO.

Jardim Secreto Floresta Encantada

Podem tocar os sinos: finalmente uma coisa anti stress que parece funcionar comigo e que sim, achei divertido. Acho até que a fotografia têm me ajudado um pouco com isso, já que hoje eu tenho muito mais compreensão de cor do que eu tinha aos 8 anos. Estou achando divertidinho e finalmente uma coisa calmante pra fazer enquanto espero emails e xingo as últimas 34 gerações da pessoa que não me responde.

Eu comprei os dois na Livraria Catarinense aqui em Itajaí, mas sei que em uma busca de 2 segundos no Google você acha uma livraria perto de você – ou site– que venda. Agora vou ali pintar, beijo!. :)

Dica de Aplicativo: Layout

Duas semanas atrás, o Instagram lançou mais um aplicativo: o Layout. Depois do Hyperlapse, pra fazer aqueles videozinhos marotos, o Layout veio pra uma coisa bastante simples: juntar várias imagens numa foto só, a boa e velha montagem.

Apesar de ser um aplicativo do Instagram, ele é totalmente independente e você pode enviar suas montagens para qualquer lugar, o que é bem bacana. Porém, não é nenhuma novidade, já que aplicativos de montagem tem bastante por aí, inclusive dei a dica de um nesse post.

Fiz um vídeo basiquinho e rápido só pra vocês verem mais ou menos como funciona:

Por enquanto, como falei no vídeo, o Layout está disponível apenas para iOS, mas reza a lenda que sai uma versão para Android nos próximos meses. :)

Meu Estúdio Portátil

Houve um tempo, lá por 2010-2012, em que fotografei muito coisinhas pequenas pra blog e lojas de amigos e pra isso, nada melhor que as maravilhosidades de um fundo branco e aquela carinha decente de foto de site, né? Mas como sou uma pessoa modestinha que não tenho um estúdio gigantesco pra chamar de meu, na época comprei uma coisa que ainda uso muito hoje aqui pro blog e é um salvador da pátria: um estúdio portátil.

Estudio portátil Primeira à Esquerda

 

Esse meu é super simples: Tem a tenda refletora, que essa “casinha” branca aí, 2 lâmpadas e um tripé de mesa, que uso DEMAIS, inclusive. O legal desse tipo de estúdio é que a luz fica distribuída igualmente na imagem e fica bem fácil de trabalhar. Ele veio uns ganchinhos também, pro caso de eu querer colocar um fundo diferente, como dá pra ver na foto abaixo:

Estudio portátil Primeira à Esquerda

 Percebam como fotografia é uma coisa super cheia de glamour e como meu escritório estava organizado, só que não. Até tô fazendo uns videos no Snapchat ( luhtestoni, segue lá) com os bastidores dessas coisas.

Pra que não viu ontem no Instagram ( me segue lá!) o resultado dessa foto com o Oh ficou assim:

Estudio portátil Primeira à Esquerda

Esse meu  estúdio comprei na ThinkGeek na época, que tava beeeem barato, mas dei uma olhada lá e parece que não tem mais. Porém, vocês encontram modelos parecidos no Mercado Livre e sites do tipo. Ajuda MUITO pra fotos de catálogo e nas resenhas de equipamento aqui do blog quando eu preciso mostrar as coisas direitinho pra vocês.

A coisa boa: existem maneiras de fazer um em casa sem gastar quase nada, e eu tô trabalhando num tutorial desses pra trazer pra cá. Então, se você não estiver desesperado por uma, aguenta que logo vou ensinar a fazer um bem facinho. Enquanto isso, que tal ler essas dicas sobre fotografar produtos?

Meu Equipamento: Disparador Remoto

Talvez isso pareça meio irônico, mas eu detesto outras pessoas me fotografando. Sério, eu travo, não consigo, não rola. Por isso, todos os meus retratos que aparecem no Instagram ( segue lá!) e aqui no blog, foram eu mesma que fiz. E pra conseguir fazer retratos diferentes, e não apenas uma selfie com o celular na frente da cara, tem uma coisinha que eu não dispenso de maneira nenhuma: disparadores.

Disparadores remotos para câmeras Primeira à Esquerda

Sim, existe a opção de você programar o timer da câmera e sair correndo pra se ajeitar, – alô, 2005! – mas além de acabar sendo mais difícil, complica na hora do foco, principalmente com lentes como a 50mm.

Existem basicamente 2 tipos de disparadores simples: com fio e sem fio e a escolha dele vai depender da câmera que você tem em mãos. Quando eu usava a Canon T3, minha primeira DSLR ( falei de câmeras pra iniciantes aqui) ela não tinha a opção para conectar um disparador remotamente, então a saída foi arrumar um disparador com fio:

Disparadores remotos para câmeras Primeira à Esquerda

 

Esse eu comprei no Ebay e foi coisa de 20 reais na época, quando o dólar era mais baixo, a vida mais tranquila etc e tal. Ainda assim, não é um negócio caríssimo e vale muito a pena. O fio geralmente tem só um metro, mas você pode mandar fazer uma extensão em lojas de material elétrico. Pedi pro meu pai levar pra mim e o exagerado me voltou com 15 metros de extensão, mas facilitou MUITO a minha vida na época! :)

Mas o que realmente mudou a maneira como eu faço meus retratos foi ter trocado a T3 pela T3i. Além do visor que vira pra frente, pra você ver o que tá fazendo, a câmera permite conexão com a melhor coisa que eu já comprei: o disparador sem fio.

Disparadores remotos para câmeras Primeira à Esquerda

Esse meu é da própria Canon e eu acabei comprando já junto quando comprei a T3I e socorro, que coisinha maravilhosa. Facilitou um milhão de vezes a minha vida, principalmente na hora de fazer retratos ou usar o tripé em lugares altos, quando fica difícil você se pendurar pra apertar o obturador.  Ele funciona como transmissor infravermelho, por isso é sempre importante ver se é compatível com a sua câmera, ou não vai funcionar, né?

Ele também funciona ( na T3I e em alguns outros modelos) pra disparar na função vídeo, o que também facilitou minha vida mil vezes pra gravar aqui pro blog. Esse meu, comprei na Aliax. Tem também uns desses sem fio de marcas genéricas, no Ebay tem muitos, mas daí eu não posso garantir que funcione tão bem quando esse da própria Canon.

Tá aí uma coisinha que vale muito a pena se sua câmera permitir. Ponha na listinha. :)

Como você desenha nas fotos?

Vira e mexe alguém me pergunta sobre o equipamento que eu uso no blog. Computador, programas de edição etc etc etc e eu juro que tô preparando um post bonitinho sobre isso, até pra poupar um tempinho da minha vida e deixar isso lá no FAQ, já que eu respondo com uma certa frequência. E desde que eu comecei a desenhar nas fotos do @30daysoftoys, muita gente têm me perguntado se é algum app e se não, como eu desenho nas fotos. Como eu sempre respondo, não é app, eu mesma sendo bonitinha aqui na frente do Photoshop e desenho tudo usando uma tablet de desenho.

Bamboo Conect

Essa minha Bamboo Connect já é um modelo antiguinho, que eu comprei em 2012 quando fiz um treinamento de Photoshop e passava MUITO tempo mexendo em detalhes, coisa que é terrível fazer com o mouse, pelo menos pra mim, e dava uma canseira louca no fim do dia.

É o modelo mais simples das mesas de desenho da Wacom, o que considerando a minha total falta de habilidade pra desenhar, tá ótimo. Também escolhi o menor tamanho pra poder levar ela comigo na bolsa do macbook e trabalhar de qualquer lugar sem um trambolho gigante atrás de mim.

Bamboo Conect

Como é uma caneta, fica milhões de vezes mais confortável do que o mouse na hora de editar e se você pega o jeito, acaba até usando direto no lugar do mouse. Ela mesma vem com alguns programas pra te ajudar a treinar e pegar o jeito, o que no fim é questão de prática mesmo. No começo a gente se atrapalha e tem vontade de jogar tudo pela janela, mas eu juro que melhora.

Primeira à Esquerda Blog Luh Testoni
Primeira à Esquerda Blog Luh Testoni

 

É um troço imprescindível? Não. Mas se você edita muito, ou desenha e tal, facilita e deixa o trabalho bem mais confortável. :)