Fotografia . Blogosfera . Lifestyle

O Primeira está no Youtube!-2

Fotógrafo cria obras incríveis apenas usando um iphone

Aqui no blog nós falamos muito de fotografia mobile. Na verdade eu acho que é uma nova linguagem na fotografia. Sempre no bolso ou na bolsa de qualquer um, smartphones e tablets trouxeram, com suas câmeras cada dia mais evoluídas, uma revolução no universo da arte fotográfica, revolução antes vista apenas quando as primeiras câmeras digitais começaram a aparecer em meio à um mundo até então dominado pelos filmes.

Não por acaso, é nosso o maior desafio fotográfico diário do instagram no Brasil, o Desafio Primeira, que já tem em sua hashtag mais de 42.000 imagens, em apenas 9 meses de existência. O que dá uma média de quase 400 imagens por dia postadas pelos participantes, fazendo contas mais precisas, chegamos ao incrível número de 16 imagens por hora na hashtag #desafioprimeira, o que é foto pra burro! (e a gente está de olho em TODAS) E agora com o mais novo desafio aqui do blog, o “Semana Primeira de”, nós queremos cada dia mais explorar esse universo mobile e democratizar a fotografia pra todo mundo, não apenas pra quem pode ter uma câmera maior ou com mais recursos.

Bom, avisos internos à parte, se você acha que é impossível produzir algo decente usando apenas seu aparelho de falar alô, vamos mostrar aqui muita coisa que gente tem feito apenas em dispositivos móveis, como o fotógrafo Ade Santora que criou as imagens que você vê aqui. A curiosidade é que o artista indonésio utiliza diversos aplicativos para editar e fazer fusão de fotos, e todo o processo é feito no iPhone.

4
1
2
3
Entre os apps em sua extensa lista estão: ProCamera, Afterlight, IColoramaS, Superimpose, VSCOcam, Snapseed, Photo Power, Slowshutter, Noir Photo, Afterglow, Mextures e Stackabless. Para conhecer mais sobre ele e acompanhar o trabalho do cara é só seguir a conta dele no Instagram: instagram.com/adesantora
8
5
6
7
fonte: revista fox.
Realmente incrível não? E você, costuma fotografar mais com câmera ou celular? Particularmente, como fotógrafo de rua, eu acho que existem lugares em que a câmera não caberia e o celular se encaixa perfeitamente. Como no metrô por exemplo. Você costuma fotografar muito com o celular? Ah, e não se esqueça de participar do desafio #semanaprimeirade! Eu vou participar e quero te ver por lá também.

Polaroid Cube – Unboxing

Polaroid Cube Resenha  Primeira à Esquerda

Sim sim! Como prometido, hora de tirar a Polaroid Cube da caixinha. Desde que vi ela numa feira de lançamentos, botei na cabeça que compraria uma e assim que saiu a pré-venda eu respirei fundo, rezei pra ter limite no cartão de crédito e fui. Acabei aproveitando e comprando também a caixa estanque, pra poder usa-la na água e um encaixe de tripé, porque se tem uma coisa útil nessa vida de fotografia, essa coisa é  o tripé.

Polaroid Cube Resenha  Primeira à Esquerda

A primeira impressão é: “meu deus, é tudo muito minúsculo socorro!” e que vai sumir tudo em dois tempos, então caso você arrume uma, primeira dica: preste bem atenção onde você a guarda, porque sumir é fácil.

Sobre a câmera em si:

  • Filma Full HD 1080p/720p
  • Fotografa em até 6 MP

As lentes tem um ângulo de 124 graus, que deixa a imagem beeem aberta, como vocês vão ver na imagem do fim desse post e ela tem uma base magnética pra facilitar a fixação nas coisas. Eu percebi que esse imã funciona mesmo quando coloquei a câmera dentro da minha bolsa ontem e quando tirei, ela tinha grudado TODAS as moedas perdidas da minha bolsa nela. Juro.

Ainda não precisei recarregar a bateria, mas a estimativa é de durar uma hora e meia se estiver filmando. Ela também resiste a respingos e é toda emborrachada pra facilitar a vida dos mais desastrados.

Polaroid Cube Resenha  Primeira à Esquerda

 

Os controles ficam na parte de trás. Você gira a tampinha e aparecem as coisas que você pode configurar.Ali tem a entrada do cartão de memória, o interruptor pra você escolher se quer usar em 720p ou 1080p e a porta micro USB. Pra ligar a câmera, é só segurar o botão multifunção (essa parte redonda na parte de cima da câmera) por uns segundos e mesma coisa pra desligar.

 

A Polaroid Cube suporta cartões micro SD de até 32G. O micro SD é essa coisinha minúscula aqui na foto abaixo e a câmera não vem com um. Eu já tinha em casa, mas caso você não tenha, lembre-se de que sem ele a câmera não funciona.

 

Polaroid Cube Resenha  Primeira à Esquerda

 

O cabo USB além de passar suas fotos, também é o cabo de alimentação da câmera. E sim, é o menor USB que eu já vi na minha vida!

Polaroid Cube Resenha  Primeira à Esquerda

 

Sobre a caixa estanque:

A caixa estanque não tá inclusa, eu que comprei ao mesmo tempo, assim como o encaixe do tripé. Ele aguenta até 10 metros de profundidade e só serve na Polaroid Cube. Existe também um encaixe  de sucção pra você prender a caixa estanque nos lugares, como uma prancha,  mas esse eu ainda não comprei. Vamos ver se acaba se fazendo necessário mais na frente.

Polaroid Cube Resenha  Primeira à Esquerda

 

O encaixe de tripé também não tem segredo. Encaixa em qualquer tripé padrão que você tenha e também só serve pra Polaroid Cube porque como todo o resto, é minúsculo.

Polaroid Cube Resenha  Primeira à Esquerda

 

Sobre preços e momento desabafo:

Ontem quando mostrei a câmera no meu Instagram, rolou um “mas por queeeeee você comprou no Brasiiiil, sua louca” e não que eu tenha que me justificar ( porque adivinhe, eu não tenho!)  deixa eu contar: normalmente eu teria comprado em uma loja fora porque é bem mais barato sim. Mas nesse caso específico pesaram várias coisas: a alta do dólar, o fato de eu andar sendo taxada em valores MALUCOS nas minhas últimas compras e as 4 compras que simplesmente SUMIRAM antes de chegar na minha casa. Então pesando tudo, eu resolvi pagar mais nesse caso. Mas sim, eu sei que lá fora é mais barato e vocês não precisam me contar isso vinte vezes e/ou regular o que eu compro. Sim, fiquei irritada com isso ontem porque né? eu sou uma pessoa adulta, dona da própria fuça e tal. E cara, quando foi que virou OK virar pra uma pessoa e dizer “quanto você ganha? por que comprou isso?” Dica: não é ok.

Pronto, passou, estou boazinha de novo.

 

Não consegui usar muito a câmera ainda, mas fiz uma foto de teste. Sem edição, nadinha de nada, ficou assim a vista aqui da minha janela:

Polaroid Cube Resenha  Primeira à Esquerda

 

Eu curti bastante e assim que tiver usado mais, venho com um post cheio de fotos. Eu não vou fazer um comparativo com a GoPro agora  porque eu não tenho uma GoPro na mão, apesar de já ter usado e não usei a Cube o suficiente pra isso ainda. Assim que tiver usado mais essa e arrumar uma GoPro, faço um comparativo legal.

Update: Demora mas sai! Fiz um vídeo com as minhas impressões depois de usar a câmera!

 

Para comprar:

No Brasil

Fora

Fotos da Semana

Essa semana consegui fazer algo que queria fazer a tempo aqui no blog: uma semana inteira só de posts sobre fotografia! Teve 5 dicas pra fotografar melhor com o celular, as dicas de Fotografia de Rua do Fábio, falei sobre fotografar produtos pra blogs  e dei mais 5 dicas legais de fotografia pra celular.  Vocês gostam de semanas assim focadas em fotografia?

Como o #30daysoftoys tá indo pra última parte e tem o #desafioprimeira também, tô conseguindo fotografar bastante e como prometi, semana que vem lanço o novo desafio fotográfico do blog, que vai rolar semanalmente.

Até segunda!

 

Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog. Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog. Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog. Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog. Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog. Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog. Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog. Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog. Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog. Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog. Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog. Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog. Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog. Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog. Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog.

Mais 5 dicas para fotografar melhor com o celular

5 dicas pra fotografar melhor com o celular

E por que não uma segunda parte? Quando eu penso que já falei pra vocês o básico do básico, me ocorrem mais dez coisas que eu esqueci de contar. Sempre falo que a gente aprende novas coisinhas na fotografia o tempo todo, né? a gente nunca tá pronto. Até porque, se você estiver “pronto” vai fazer o que com isso? Aprender sempre é parte da diversão. :D

1- Não use a câmera do Instagram

Ela deixa a foto meio nhé, sem falar que você vai ter que editar ali mesmo. Use a câmera do celular ou de outro aplicativo. Eu indiquei um bem legal aqui.

2- Não trema:

Apoie o celular num lugar firme ou arrume um tripé. É um investimento baratinho que vale a pena!

3- Evite a câmera frontal:

Eu uso iPhone faz muito tempo então não sei quanto a outros celulares, mas no iPhone – mesmo os mais novos – aquela câmera que fica de frente pra você é um desserviço. Evite, evite e evite de novo.

4- Use a grade:

Lembra que falei da grade nesse post sobre regra dos terços? Use-a! Ela te ajuda na hora de compor a imagem, é pra isso que ela tá aí! :D

5- Se você vai postar a foto no Instagram, já use a função foto quadrada:

Assim você não precisa ficar fazendo malabarismo pra foto caber certinha e não corta a cabeça de ninguém :P

5 dicas pra fotografar produtos

Ontem eu fiz um matéria sobre fotografia de produtos pra um projeto super bacana que fui convidada pra participar. Claro que naquele caso, precisei fazer um texto voltado pra pequenos negócios, empreendedores individuais e um público bastante diferente de vocês que acompanham o blog. Mas – sempre tenho um “mas” – terminada a matéria eu me lembrei que muitos de vocês aqui leitores do Primeira são blogueiros, tem pequenos sites etc etc e óbvio, devem precisar fazer fotos mostrando produtos vez ou outra, não?

Por isso, resolvi fazer uma segunda versão daquela matéria ( que ainda não saiu, mas avisarei) voltada pra vocês com algumas coisas de lá que sei que vocês poderão aproveitar nos blogs e redes sociais. Lembrando que não estou falando de fotos de catálogo, ok? fotos de catálogo pra ficarem bacanas precisam da iluminação certa e outros detalhes. Esse texto é só um ponto de partida. :D

1- Keep it simple, stupid:

Lembre-se de que quem deve se destacar na foto é o produto. Evite paredes ou tecidos chamativos demais ou com muita informação. O destaque deve ser sempre o produto, esqueça o carnaval.

2 – Seja criativo, pequeno Jedi:

Sim, o fundo deve ser discreto, mas isso não quer dizer que você vai colocar o produto no vazio e voando. Inclusive, minha professora da primeira série sempre pegava no meu pé porque eu desenhava as coisas sem chão, então chegou a minha vingança.  Não esqueça de montar uma cena bonitinha pra sua foto. Lembre-se que não to falando de foto pra catálogo, né?

Luh Testoni Fotografia - Primeira à Esquerda Blog.

3-  Levante-se da cadeira!

Fotografe de cima, de baixo, dos lados…teste até descobrir o que funciona melhor. Fotografia e preguiça são coisas que não combinam.

4-  Deixe o cofre de porquinho em paz:

Um tecido branco, uma mesa de madeira, um pedaço de cartolina, um lençol da avó… Esses são só exemplos de coisas super baratas e que você já deve ter em casa que dão ótimos fundos pra fotos. Não saia comprando de tudo porque não precisa.

Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog.

5- Coragem, criança!

“Mas Luh, minhas fotos não são boas!”. O que vai melhorar suas fotos é a prática. Só ela vai deixar seu olhar mais apurado e sua criatividade aguçada. Ninguém vai dormir amador e acorda fotografando pra Vogue. Calma!Luh Testoni Fotografia -  Primeira à Esquerda Blog.

10 coisas que aprendi sobre fotografia de rua

Eu fotografo na rua há mais ou menos 5 anos, mais foi só no ano passado que decidi cair nas ruas com o coração totalmente voltado à elas. Posso dizer que aprendi 80% do pouco que sei de fotografia fotografando na prática, e a vida andando pra lá e pra cá com uma câmera na mão me ensinou muitas coisas que vão muito além de ISO e velocidade de obturador. São coisas que sempre me perguntam em conversas e bate-papos; “como eu trato as pessoas que fotografo” ou “como eu cuido da segurança fora de casa” são os clássicos. Muitos de vocês já vieram falar comigo sobre fotografia de rua e foi por isso que eu criei lá atrás aquela série sobre Street Photography aqui no blog. Se você perdeu, aqui vão os links dos posts:

– O que fazer e o que não fazer na rua
 11 dicas de composição e perspectiva
– Arranjando bons motivos para quebrar as regras
– Lidando com as pessoas na rua
 Qual o melhor equipamento para fotografia de rua?
10 lições de Henri Cartier-Bresson sobre fotografia de rua
– Minhas referências e fotógrafos que inspiram

Semana passada a Luh fez um post super massa de 20 coisas que ela aprendeu com fotografia e eu resolvi fazer também, porque MUITO do que eu aprendi veio de conversas sobre fotografia com outros fotógrafos, que expõem suas experiências e contam que caminho trilharam, e como eu sou da rua, vamos ver aqui algumas coisas que eu aprendi sobre fotografia de rua. Só que como quero explicar bem cada ponto, farei 10 coisas. Se for necessário contarei mais 10 no futuro.

IMG_1998_HD

1 – Desconstruindo a técnica.
Se você quer entender a rua e como ela funciona, tente pegar o termo “Fotografia de Rua” e desmonta-lo. Foque 30% na fotografia e 70% na rua. Fique ligado no que acontece ao seu redor, não na tela da sua câmera… Se aquela foto INCRÍVEL foi feita em f/4 ou f/5.6, pouco importa. Se você parar pra pensar muito em que ISO vai usar, a cena se desmonta. Na rua normalmente você tem menos de 2 segundos pra capturar uma cena. Em 3 segundos o farol abriu, aquele carro andou, cobriu aquela pessoa, aquele homem atravessou a rua e aquela mulher olhou pro outro lado. Sua oportunidade de foto  entrou pelo cano.

2 – Equipamento –  tamanho do e importância do.
Quando você vê uma boa cena urbana, o que menos vai importar no momento é se você está com sua mega ultra cara DSLR com aquele sensacional grip vertical ou aquela sua lente pesada que tem o Luxurious anel vermelho na ponta. Muitas vezes seu celular surrado que anda sempre no bolso vai fazer com que conste uma foto incrível no meio das selfies do seu instagram. Tenha sempre uma câmera compacta ou celular em mãos pra cenas rápidas.

IMG_1689_LD

3 – As pessoas na rua tem mais a ver com você do que você imagina.
Normalmente temos uma visão um tanto quanto preconceituosa com quem mora ou trabalha nas ruas. Achamos que pelo fato de termos uma boa casa ou um emprego num escritório “normal”, tudo que não faz parte desses padrões é “anormal” e “errado”. Idealizamos até uma distância entre nós e eles, como se fossemos superiores (há exceções, mas muitos ainda pensam assim). Mas na verdade aquele morador de rua pode até curtir um rock da mesma banda que você, ou aquele artista urbano pode até fazer malabarismo do mesmo jeito que você fazia no colégio. Eu já conheci alguns artistas de rua que faturam três vezes mais do que um funcionário “padrão” do sistema, e são vinte vezes mais felizes e realizados. Na rua você vai encontrar pessoas indo pra faculdade, voltando da academia, pegando um taxi. Coisas que você também faria, poderia ser você na foto.

4 – Fotografe + Pense.
Fotografar na rua = click, click, click, edita, posta na internet e volta pra rua. Eu fazia muito isso no começo. Mas com o passar do tempo, eu queria mais do que “aleatoriedades do cotidiano” no meu portfólio. Para amadurecer as minhas imagens, eu passei a refletir muito, antes e depois do click. Muitas das minhas fotos hoje são cenas que eu NÃO iria fotografar, mas depois de refletir internamente sobre elas, não consegui deixar de traze-las comigo.

IMG_1061_LD

5 – Fotografia de rua é muito mais sobre como VOCÊ vê a cidade do que como a cidade é de fato.
Eu aprendi isso recentemente. Eu “achava” que mostrar a minha cidade era o que eu estava fazendo. Mas não somos panfletos de turismo, o que acontece é que, se você soltar um fotógrafo feliz, colorido e saltitante na rua, ele vai te entregar fotografias coloridas mega saturadas e pessoas sorrindo. Se você soltar um apaixonado nas ruas, ele vai caçar pela cidade inteira casais felizes se beijando. Se você entrega uma câmera pra uma pessoa triste, ela vai te entregar fotos chuvosas e dramáticas em preto e branco e por aí vai… Tem quem seja doido por trens, tem quem tenha uma queda por esquinas, tem quem goste de carros amarelos e vermelhos. Cada indivíduo vai trazer consigo em sua linguagem fotográfica o mundo próprio em que vive, com suas próprias características. É por isso que fotógrafos de rua não concorrem entre si, mas se complementam. Já dizia o mestre Ansel Adams: “Não fazemos uma foto apenas com uma câmera; ao ato de fotografar trazemos todos os livros que lemos, os filmes que vimos, a música que ouvimos, as pessoas que amamos.”

Veja mais 30 Frases inspiradoras sobre fotografia pra levar pra vida

6 – Trate as pessoas bem que elas te tratarão bem.
Há quem prefira a posição de “sniper, atirador de elite” pra fotografar na rua, parecendo um detetive, o ser anda se esgueirando entre postes e construções se escondendo das pessoas e querendo lhes raptar um momento cotidiano. Não condeno quem trabalhe assim, só acho mais fácil aplicar uma abordagem mais “amiga”, mais simpática e sorridente. A propósito, na rua, se você oferece um sorriso, há uma boa possibilidade de você ganhar um de troco, e isso faz uma diferença IMENSA no seu dia. Eu sou uma pessoa tímida, e a fotografia de rua me ajudou MUITO com isso =)

IMG_6835

7 – Segurança é importante, mas você não vive no Iraque.
Uma das maiores neuras de quem quer fotografar na rua (quem já fotografa já pulou essa casa) é a segurança. Claro que eu não posso sentar aqui e dizer que lá fora a coisa é muito tranquila. Eu vivo em São Paulo, então eu sei o que é falta de segurança urbana e tenho minhas técnicas nada complexas pra tentar não perder tudo enquanto fotografo. Lá vão algumas:

– Ande rápido, mas não precisa correr. Minha mãe sempre disse que se um cão te vê correndo, ele vai correr atrás de você.
– Esqueça grips, flashes, parasóis e qualquer coisa que deixe seu equipamento mais chamativo do que ele ja é por natureza.
– Nunca ande sozinho em lugares perigosos. Andar com um amigo ou dois é sempre mais confiãvel. Mas grandes centros e pontos turísticos normalmente são seguros.
– Não pegue pilha nem seja neurótico. Andar olhando pros lados o tempo todo abraçando a mochila virada pra frente só faz parecer que você sacou trinta mil reais no banco.
– Não leve tudo tão a sério. Nem essas dicas. Vá sozinho SIM onde você perceber que pode ir sozinho e use o parasol SIM quando necessário.
– Quem fica parado é poste. Movimente-se. Assim, quem te ver não vai ver por mais de 10 segundos. Não dá tempo de chamar a quadrilha e reforços pra te assaltar em 10 segundos.

Sempre segui essas dicas e NUNCA sofri nada sequer parecido com uma situação perigosa. Sempre andei sozinho e lá se vão 5 anos e algumas dezenas de milhares de fotos…

8 – Tente melhorar sempre.
Eu tenho uma foto que fiz em 2011 e gostei. Voltei lá em 2012 e fiz uma foto melhor do mesmo ponto.Esse ano voltei lá e fiz A MESMA foto, ficou dez vezes melhor que a primeira. Cada vez que você sai pra rua, é um dia novo com novas idéias e novas possibilidades. Abra a cabeça e tente sempre se superar.

IMG_9052+2

9 – A rua é uma fonte inesgotável de imagens. E imprevisível.
Você pode sair por um ano  e dar uma volta no seu quarteirão todos os dias. Cada dia terá novas pessoas, novas possibilidades e novas fotos. Acho que já andei umas trezentas vezes pela Avenida Paulista e sempre que vou lá saem resultados completamente diferentes. Há saídas também que simplesmente não rendem, acontece. Existem também dias perdidos em que UMA FOTO acaba valendo o dia todo. Vai entender.

10 – Inspire-se. Organize suas idéias e referências na cabeça e saia pra caçar. Divirta-se, o mundo está lá fora.
Não se faz fotografia de rua em casa. Saia, tente, erre, volte, tente novamente, acerte… Como eu disse no começo, eu fotografo há 5 anos e somente há 1 ano tenho obtidos resultados consistentes. Isso quer dizer que eu fiquei QUATRO ANOS na rua fazendo fotos meia boca. Eu acredito que no primeiro ano foi só foto ruim. Pra falar a verdade nem sei se ainda guardo esses arquivos. Você só vai aprender fotografia de rua NA RUA! E como diz um outro fotógrafo de rua, “Há vida lá fora”, vá caça-la gafanhoto!

IMG_1701_LD

Só lembrando que esse post não traz regras milagrosas de fotografia de rua, sequer traz regras. São apenas constatações pessoais minhas (você pode concordar ou discordar), do que aprendi um tempo andando por aí, pensando e fotografando, e podem ser aplicadas em várias áreas da fotografia e da vida. As fotos são minhas e você pode acompanhar o que eu faço por aí pelo meu instagram. Se você mora em São Paulo, abra os olhos, a qualquer momento você pode cruzar comigo nas ruas. Mas e você, o que de mais valioso você tem aprendido com a fotografia?