Fotografia

Colinha: Que ISO usar em cada ambiente?

Eu já falei sobre ISO nesse post, mas bora repetir o básico do que eu disse lá:

ISO mede a sensibilidade do sensor de imagem da sua câmera, ou seja, o quão sensível à luz a exposição vai ficar. A coisa toda na verdade é bem simples de entender: quanto mais alto o ISO, mais sensível o sensor fica e você pode tirar fotos em situações com pouca luz com um pouco mais de dignidade.

Embora eu tenha tentado explicar da forma mais simples possível, eu sei que na hora da prática sempre bate a dúvida: Que ISO usar em cada ambiente? Por isso, esse post  tem uma colinha que explica mais um pouquinho, te dizendo qual ISO usar em cada condição de luz. Vou do ISO 100 até o 1600. Essa imagem você pode também fazer download em PDF lá na página de Freebies, pra poder imprimir e consultar.

colinha ISO - Primeira à Esquerda

Lembrando que dependendo da luz do ambiente, isso pode não bater 100%. A melhor maneira, como sempre, é prática, prática e prática. :D

8 Comente!
Fotografia

Projeto Fotográfico Pessoal: #30daysoftoys

Vocês já sabem que eu tô fazendo aquele curso de empreendedorismo criativo do Decola Lab, né? aqueeele, que eu enchi o saco de vocês duas semanas pra votar no meu vídeo de inscrição, lembram? Então, ele é cheio de exercícios pra fazer. Muitos, muito, MUITOS exercícios.

E um dos exercícios diz respeito a criatividade como hábito: se você é músico, toque por 30 dias, se você é desenhista, desenhe por 30 dias e se você é blogueira/fotógrafa, você faz o que? sim, escreve e fotografa por 30 dias. Como eu já escrevo praticamente 30 dias aqui pro blog, às vezes mais de um texto por dia, um projeto com textos não pareceu tão útil, entao escolhi um projeto fotográfico de 30 dias que eu já tinha ameaçado começar duzentas vezes, usando toyart. Daí surgiu o #30daysoftoys.

Basicamente, eu faço uma foto por dia usando algum dos meus toy arts. Parece mole, né? Foi no primeiro dia. Estou no quarto dia e já começou o “ok, o que inventarei hoje que não parece muito imbecil e/ou simples?“. Todo dia eu acordo, tomo meu café e passo um tempo encarando a prateleira, pensando que toy usar e em que contexto, mas admito que além de divertido, está sendo útil. Como falei, hoje foi o dia 4 do projeto. Eis o que fiz até aqui:

#30daysoftoys Luh Testoni Primeira à Esquerda

#30daysoftoys Luh Testoni Primeira à Esquerda

#30daysoftoys Luh Testoni Primeira à Esquerda

#30daysoftoys Luh Testoni Primeira à Esquerda

Como falei, acaba que é um exercicio super útil, tanto que estou pensando que quando esses 30 dias terminarem, começarei outro #30daysof com outra coisa, inclusive, aceito sugestões de temas. Quem quiser acompanhar o projeto, é só me seguir no Instagram!

10 Comente!
Fotografia

A tristeza e a melancolia em pixels

Pode parecer pessimista e dramático da minha parte, mas eu sempre ví muito mais beleza artística na tristeza do que na felicidade. Compositores escrevem quando estão tristes, pintores criam obras incríveis nos seus periodos mais obscuros e todo mundo para mais pra pensar na vida quando põe a cabeça no travesseiro sem muitos motivos pra sorrir, longe do “oba-oba” da alegria esfusiante e da felicidade constante. A maioria das auto-reflexões vêm acompanhada de algum momento depressivo e tudo bem ser assim. Acho que ninguém é feliz o tempo todo.

Sentimentos-profundos-1

Como tristeza, melancolia, calma e serenidade são sentimentos profundos comuns a todos os seres humanos, isso serviu de inspiração pra fotógrafa fluminense Carol Lá Lach.

Natural de Teresópolis, região serrana do estado do Rio de Janeiro, ela sempre gostou muito de artes visuais, pinturas, desenhos, esculturas, e claro, fotografias. Há um ano e meio, Carol estava no seu “odiado” trabalho de escritório, quando resolveu comprar uma câmera Canon T3. “Nessa época, o valor dela era quase três meses de salário no meu emprego”, diz.

Sentimentos-profundos-41

Desde a infância, ela sofreu de depressão, quando a arte de fotografar mudou a sua vida. “A fotografia fez em um ano e meio, o que o tratamento psiquiátrico não conseguiu em alguns anos. Abandonei a depressão e todo comportamento destrutivo, mas é inegável a influência dela nas minhas fotos”, completa.

Sentimentos-profundos-73

É comum notar nas suas imagens, a presença de crianças. “Fotografo outras pessoas também, mas grande parte do meu trabalho é composto de fotos minhas ou de minha filha. Quando tenho uma ideia, quem está sempre por perto é ela. Não vivo cercada de pessoas, sou até muito anti-social, e como sou ansiosa também, quando as ideias surgem, preciso realizá-las na hora.” 

Sentimentos-profundos-111

Carol não gosta muito de imagens alegres e com muitas cores. “Acho a tristeza, a melancolia, a calma e a serenidade mais profundas e bem mais interessantes. As cores tiram a atenção do que realmente importa para mim, que são os sentimentos, o estado de espírito.” Mas, a lista não para por aí, existem outros temas que inspiram o trabalho da artista: “O meu passado, o frio, o medo, neblina, paixões inúteis, a trágica condição humana, o vazio, a solidão, Camille Claudel, Auguste Rodin, Lars Von Trier…”

Sentimentos-profundos-4

A fotografia, como outras formas de arte como as artes plásticas e o cinema, tem uma relação muito forte com a percepção dos sentimentos. Tanto sentimentos que o artista tenta passar com a obra, como sentimentos causados nos espectadores. É bizarro apenas pensar fotografia como meros registros estáticos digitais ou impressos. Seja qual for o tipo de fotografia que você pratique, tente sempre imprimir a sua alma no seu trabalho.

Sentimentos-profundos-1771

Conheça o trabalho da artista no site carollalach.com e na página da fotógrafa no facebook.

fonte: photos.uol

1 Comente!
#desafioprimeira

Lista de Novembro – #DesafioPrimeira!

E bem vindos à décima lista do #desafioprimeira! Sim, começamos o projeto em fevereiro, portanto, décima lista! Nem acredito que já já estaremos completando um ano!

Se você é novo no desafio, bem-vindo! Tudo o que você precisa saber e um vídeo com as explicações estão nesse link. Dê um pulo lá e depois volte aqui pra ver a lista do mês, ok?  Se você já é participante, pronto pra mais um mês? Como prometi, comecei a fazer as dicas da lista em vídeo porque acho que acaba facilitando.

Esse mês, além das canecas, o presentinho extra é o livro Photo Book Idea, das meninas do A Beautiful Mess, que foi presente da querida Simone, do Recicla Home Design.  <3 <3

A beautiful Mess

 

Eu tenho esse livro e já fiz resenha dele aqui, é MUITO legal. Esse presente extra vale para o tema do dia 17, criatividade. O resultado sai dia 20, junto com a lista de Dezembro. No vídeo eu dou detalhes.

Pronto? Eis a lista de Novembro e abaixo, o vídeo com as explicações!

Desafioprimeira Novembro!-2

 

Outras informações úteis:

Como participo?

Como falei no comecinho desse post, todas as informações sobre como participar estão nesse link.

Como vejo as listas anteriores?

Você pode conferir tudo o que a gente já fez aqui.

Tenho que participar todos os dias pra concorrer as canecas?

Eu não tenho como controlar quantos dias cada um participa, então isso não é exato. Mas claro que quanto mais vezes eu vejo fotos suas no desafio, mais provável.  A série sobre Street Photography que pode te ajudar com o tema do dia 4 está aqui.

Posso mandar sugestões de temas para os próximos meses?

Pode e deve! Temos uma “caixinha de sugestões” nesse link. O tema “guarda-chuva” desse mês, foi dica da participante @patval

Como me cadastro pra concorrer as canecas?

O formulário está no fim dessa página e você deve se cadastrar apenas uma vez. Se você já é cadastrado, não se cadastre de novo, ok?

 

E os ganhadores de Setembro?

Aí vão: @fe_stepa, @tamyrbatista, @oalexandrecruz e @jordana_rib. Preciso dos endereços conferidos dos 4 pro luh@primeiraesquerda.com, ok?

 

Pronto pra começar? Lembrando que ainda estamos na lista de Outubro, ok?

Qualquer dúvida exta, você pode me mandar no Instagram ou se facilitar, direto no luh@primeiraesquerda.com. Bem-vindo e divirta-se!

5 Comente!
Fotografia

20 coisas que aprendi sobre fotografia

Eu já devo ter dito isso aqui, mas repito: fotografia é um aprendizado constante, a gente nunca tá “pronto”. Nunca mesmo. E como eu tenho conseguido fotografar bastante nas últimas semanas – menos do que eu gostaria ainda – tenho aprendido pequenas coisinhas. Às vezes técnicas, outras apenas pra deixar a fotografia mais bacana.

Aprendi bem mais de 20 coisas nesses últimos 2 anos fotografando “pra valer”, mas aí vão 20 coisas que eu quero compartilhar hoje:

IMG_2999

1- Se prepare: veja se a câmera e as lentes estão limpas,  a bateria carregada e os cartões prontos pra uso.

2- Tenha um tripé. Ele ajuda muito

3- Sem pressa! a melhora vem um pouquinho de cada vez

4- Se não quiser ficar louco, não se compare! Falei disso aqui.

5- Se inspire!

Primeira à Esquerda Luh Testoni Fotografia

6- Faça auto-retratos. Eles são um bom treinamento!

7- Nem sempre a foto na câmera sai como estava na sua cabeça. Mas isso não é necessariamente ruim.

8- Se sua câmera permitir, fotografe em RAW. Falei sobre isso aqui.

9- O melhor equipamento é o que você tem na mão.

10- Agradeça os elogios. Mesmo que você ache que não foi o seu melhor trabalho. :)

Primeira à Esquerda Luh Testoni Fotografia

11- Tente coisas novas, não se acomode.

12- Brinque com programas de edição e vá descobrindo o que funciona pra você.

13- Colete referências. Veja filmes, leia!

14- Você não precisa SEMPRE carregar TODO o seu equipamento feito uma tartaruga. Aprenda a se virar e ser criativo.

15- Formate os cartões de memória, não apenas apague as imagens. Falei deles aqui.

IMG_3692

16- Mantenha um arquivo das suas fotos e veja sua evolução.

17- Seu celular pode fazer fotos incríveis, treine!

18- Erre. A gente só aprende errando.

19- Olhe ao seu redor e aprenda a ver beleza nas pequenas coisas.

20- Divirta-se. Fotografia não deve ser um tormento. Se for, procure outro hobby!

15 Comente!
Blogando

Blogando – A Cilada da Comparação

Primeira à Esquerda Luh Testoni Fotografia

“Mas como o blogueiro X ou Y faz tal coisa e eu não consigo?”. Eu já cansei de ouvir isso. E também teve a fase em que eu mesma pensei muito. Quando a gente resolve tentar uma coisa nova, seja blogar, fotografar, correr ou seja lá o que você invente de começar a fazer, é inevitável que você olhe pros outros, pra o que eles fazem e como você gostaria de chegar lá também. Até certo ponto é saudável, mas pode virar um problema.

Principalmente no começo, a gente tem o hábito de olhar pra pessoas bem sucedidas naquilo que a gente quer fazer e pensa “por que ele consegue e eu não?“. Eu me bati com isso pra caramba no primeiro ano do blog, principalmente porque sou bastante exigente comigo mesma e queria fazer tudo prefeito desde o começo, o que a gente bem sabe que não é possível. A perfeição ( ou a melhora) vem da prática. É impossível melhorar sem praticar.

Meu "blog - inspiração" preferido. <3

Meu “blog – inspiração” preferido. <3

Isso rolou até o dia em que eu entendi que não podia comparar o meu começo com o "meio"de ninguém. Você não pode se comparar com uma pessoa que já está lá na frente, mas que com certeza passou pelo o que você passa agora. Ninguém nasce bem-sucedido - a menos que você seja herdeiro da Inglaterra – e o começo é complicado pra todo mundo.

Comparar o que você agora com alguém que já tem mais, além de muito injusto, pode te desestimular. É perfeitamente válido se inspirar e admirar gente que faz o que você gostaria de fazer um dia, ou com aquele nível de perfeição, sucesso ou seja qual nível de comparação você esteja usando. Inspiração inclusive é útil, saudável. Eu tenho as minhas, que me dão vontade de melhorar, correr atrás e querer progredir sempre. Mas eu não me comparo mais. Além de não ajudar em nada, desanima e faz você desviar do que realmente importa: fazer algo com a sua cara.

Se inspire, busque referências, mas jamais se compare. Você não é igual a ninguém e acredite, é bem melhor assim. ;)

10 Comente!